Home

Sobre a Natureza Próspera do Homem:
O Fluxo Venturoso

Do livro “Alquimia pessoal – Como vencer a autossabotagem e atingir a prosperidade total”, de George Patrão e Vinícius Guarnieri

Uma coisa é acreditar que algo existe ou funciona, outra é saber que esse algo realmente existe ou funciona. Nós não cremos ter um coração a bater no peito, sabemos que temos um coração, mesmo sem jamais tê-lo visto “de frente”. Da mesma forma, não cremos na espiritualidade, temos certeza de que o universo é mais que o visível, mais que o palpável, mais que o controlável, mais que o cognoscível. Como o coração, sentimos e sabemos de sua existência. Saber da espiritualidade é saber ainda mais: que não estamos aqui nem por capricho, nem por acaso. Há algo a se cumprir, a aprender, a consolidar em nossa evolução: uma missão . De qualquer forma, saber da espiritualidade vai além. Sabemos também que não estamos à mercê ou sozinhos. Sabemos que todo ser humano traz de nascença uma proteção, por mais que, muitas vezes, não a consiga reconhecer, e que essa proteção – um fluxo de amor incondicional – tem a ver com o simples fato de termos sido concebidos. Uma imagem que bem representa esse fluxo de amor que cura é a de um “vento divino” que gentil e constantemente nos empurra na direção do melhor; sem imposição, mas com delicadeza, esse vento nos leva de bom grado na direção certa, aquela que tem a ver com nossa missão, sempre que assim permitirmos e posicionarmos adequadamente as velas do barco de nosso destino. É uma imagem de que gostamos porque traz sentido às nossas vidas e, portanto, esperança. Abraham o chama de Fluxo de Bem-Estar. Nós preferimos chamá-lo de Fluxo Venturoso, pois é isso o que traz para todos: ventura, proteção, intuição, orientação… Prosperidade, enfim.

Aprimorando talentos e recuperando empresas.